quarta-feira, 24 de março de 2010

Hora do Conto



No dia 22 de Março a BE/CRE realizou a animação do livro “A menina gotinha de água”, em parceria com a Biblioteca Municipal.
Esta actividade contribuiu para a comemoração do “Dia da Água”.
Uma trovoada corporal foi o culminar das várias sessões realizadas, tendo os participantes, vibrado com a mesma.
A BE/CRE agradece a todos o empenho e participação nesta actividade.

domingo, 21 de março de 2010

Dia Mundia da Poesia

Lágrima de Preta
Encontrei uma preta
que estava a chorar,
pedi-lhe uma lágrima
para a analisar.

Recolhi a lágrima
com todo o cuidado
num tubo de ensaio
bem esterilizado.

Olhei-a de um lado,
do outro e de frente:
tinha um ar de gota
muito transparente.

Mandei vir os ácidos,
as bases e os sais,
as drogas usadas
em casos que tais.

Ensaiei a frio,
experimentei ao lume,
de todas as vezes
deu-me o que é costume:

nem sinais de negro,
nem vestígios de ódio.
Água (quase tudo)
e cloreto de sódio.

Anónio Gedeão

sexta-feira, 12 de março de 2010

Biblioteca Itinerante


A Biblioteca Escolar tem andado de aldeia em aldeia (Benlhevai, Vale Frechoso, St.ª Comba da Vilariça, Vilas Boas, Seixo de Manhoses e Samões ), levando a todos os alunos do JI e do 1.º Ciclo a biblioteca “itinerante”.
As crianças estiveram com muita atenção ao conto e às actividades que se seguiram.
Nas próximas semanas outras se seguirão.

quinta-feira, 11 de março de 2010

Clarice Lispector


"Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa. Não altera em nada... Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas. A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro..."
( Ver mais na Barra Lateral em Documentos - Separador- Autor do Mês)
Trabalho elaborado pela aluna Vanessa Guimarães 12º B

terça-feira, 9 de março de 2010

As árvores e os livros

As árvores como os livros têm folhas
e margens lisas ou recortada
se capas (isto é copas) e capítulos
de flores e letras de oiro nas lombadas

E são histórias de reis, histórias de fadas,
as mais fantásticas aventuras,
que se podem ler nas suas páginas,
no pecíolo, no limbo nas nervuras.

As florestas são imensas bibliotecas,
e até há florestas especializadas,
com faias, bétulas e um letreiro
a dizer: «Floresta das zonas temperadas».

É evidente que não podes plantar
no teu quarto, plátanos ou azinheiras.
Para começar a construir uma biblioteca,
basta um vaso de sardinheiras.
Jorge Sousa Braga

Prioridade CI Cultura da Infância


"As creches e os jardins-de-infância deveriam constituir prioridade no sistema de ensino, privilegiando um ambiente familiar e não tendo a preocupação de criar uma escola em ponto pequeno, porque antes da aprendizagem das letras convém garantir um mínimo de bem-estar emocional que as permita compreender.
A cultura da infância é a única forma de fazer o país progredir." Daniel Sampaio, Pública, 2010

segunda-feira, 8 de março de 2010

Os amigos


«Os amigos amei
despido de ternura
fatigada;
uns iam, outros vinham,
a nenhum perguntava
porque partia,
porque ficava;
era pouco o que tinha,
pouco o que dava,
mas também só queria
partilhar
a sede de alegria — por mais amarga.»


Eugénio de Andrade, in "Coração do Dia" Imagem cedida gentilmente pela Net