quinta-feira, 17 de junho de 2010

Porque

Porque os outros se mascaram mas tu não

Porque os outros usam a virtude

Para comprar o que não tem perdão

Porque os outros têm medo mas tu não.

Porque os outros são os túmulos caiados

Onde germina calada a podridão.

Porque os outros se calam mas tu não.


Poque os outros se compram e se vendem

E os seus gestos dão sempre dividendo.

Porque os outros são hábeis mas tu não.

Porque os outros vão à sombra dos abrigos

E tu vais de mãos dadas com os perigos.

Porque os outros calculam mas tu não.

(Sophia de Mello Breyner Andresen, Mar Novo)

Jovens e livros

terça-feira, 15 de junho de 2010

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Filinto de Barros


Filinto de Barros
1942
Um escritor que mergulha o leitor no mundo mágico e místico africano…

(Ver mais na Barra lateral em Documentos - Separador - Autor do Mês )


Trabalho da aluna Joana Bastos n.º 13, 12.º B
 
Filinto de Barros descreve a realidade guineense ao ínfimo pormenor, com o intuito de transformá-la (podemos enquadrá-lo deste modo na corrente neo-realista).



Este mostra a miséria, a corrupção, a dor e repúdio ao colonialismo sentido pelos guineenses.


O escritor nutre uma nostalgia de um tempo anterior, pretendendo, deste modo, dar uma identidade à sua nação. Esse tempo anterior remonta para a civilização sem qualquer marca colonial.


Além disso, é fundamental comparar Filinto de Barros com o escritor Abdulai Silá, pois ambos denunciam a realidade que os rodeia e estão conscientes do estado do seu país e por conseguinte, pretendem transformá-lo.




Cultura geral de Literatura

Concurso de cultura geral de Literatura e Língua Portuguesa


Resultado final:

Vencedor do Ensino Secundário

Joana Bastos, do 12ºB

terça-feira, 8 de junho de 2010

Podemos ler como quisermos...

O importante é ler

Cada livro uma nova surpresa

Prémio Camões distingue Ferreira Gullar

O prémio Camões 2010 foi atribuído ao poeta brasileiro Ferreira Gullar. Gullar foi distinguido pela "nota pessoal de lirismo" e "valores universais" no seu trabalho. A decisão foi anunciada numa conferência de imprensa no Hotel Tivoli, em Lisboa, pela ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas. O júri esteve reunido em Lisboa, por duas horas, e a decisão foi tomada por maioria. O autor tem uma integral da sua obra editada pela Quasi - Obra Poética (2003). Helena Buescu, (professora catedrática da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), José Carlos Seabra Pereira (professor associado da Universidade de Coimbra), Inocência Mata (escritora santomense e professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), Luís Carlos Patraquim (escritor e jornalista moçambicano), António Carlos Secchin (escritor e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro) e a escritora brasileira Edla van Steen foram os jurados deste prémio.


(fonte: Público)

Pensamento diário

O Poeta precisamente só o será quando a sua imaginação for além da imaginação do Universo.

(António Maria Lisboa)

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Biblioteca no centros das escolas



"As novas escolas querem mudar o ensino em Portugal" é o título de uma peça jornalística, assinada por Alexandra Prado Coelho, publicada hoje (06.06.10) no jornal Público. Dela fazemos algumas transcrições que nos parecem muito relevantes:
"O ensino está a mudar, diz Teresa Heitor, vogal do CA da Parque Escolar. "Hoje, não se centra apenas no ministrar de conhecimento e competências básicas de professor para aluno. [...] Há princípios que a escola tenta divulgar que têm a ver com um melhor acesso à informação, numa capacidade para gerir essa informação."

[...] a Parque Escolar propõe uma escola com espaços mais informais, locais para pequenas exposições de trabalhos, e acima de tudo, uma biblioteca, que passa a assumir um lugar central, com jornais, revistas, computadores, internet. [...] A biblioteca deve ser um "espaço aberto à comunidade": juntas de freguesia ou outras entidades poderão usá-las para iniciativas abertas ao exterior.

Ler sim, mas não é preciso exagerar