segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Pensamento


Escrever é fácil: você começa com uma letra maiúscula e termina com um ponto final. No meio você coloca as idéias

Pablo Neruda






sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Pensamento


Há pessoas que nos falam e nem as escutamos; há pessoas que nos ferem e nem cicatrizes deixam mas há pessoas que simplesmente aparecem em nossa vida e nos marcam para sempre.

Cecília Meireles.




terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Natureza


“Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é.
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem por que ama, nem o que é amar...”
                                                                                                                    Alberto Caeiro

Capuchinho Vermelho em versão delirante

Little Red Jiving Hood from Ben Hillman on V

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Retrato de uma princesa desconhecida


Retrato de uma princesa desconhecida

Para que ela tivesse um pescoço tão fino
Para que os seus pulsos tivessem um quebrar de caule
Para que os seus olhos fossem tão frontais e limpos
Para que a sua espinha fosse tão direita
E ela usasse a cabeça tão erguida
Com uma tão simples claridade sobre a testa
Foram necessárias sucessivas gerações de escravos
De corpo dobrado e grossas mãos pacientes
Servindo sucessivas gerações de príncipes
Ainda um pouco toscos e grosseiros
Ávidos cruéis e fraudulentos
Foi um imenso desperdiçar de gente
Para que ela fosse aquela perfeição
Solitária exilada sem destino

Sophia de Mello Breyner Andresen

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Fala poesia

Isto de fazer poesia

hoje em dia
é carolice.
Há quem brinque
há quem ria
há quem ache esquisitice.

Mas que querem?
Se os poetas gostam de alinhar
versos e mais versos
e construir universos
de palavras?

Deixem falar os poetas
não se riam!
e vereis o universo
caber na linha dum verso!
Fala poesia!

Vasco Cabral, A luta é a minha Primavera

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Sofia III

"Coragem e sensibilidade"
"O combate de liberdade, da igualdade e da cultura para si era um só"  Guilherme d' Oliveira Martins

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Dia dos namorados


Das mulheres

Há mulheres

em quem as coisas podem confiar
e nelas permanecem.
Olhando-as os homens ao partir,
levam consigo a terra onde voltar,
e se as crianças correm para a frente
é dentro das mulheres,
essas mulheres
mais bravias que densa floresta
e tão mansas como um regato na manhã.

São elas que conhecem as palavras
que no silêncio falam
e sabem o rigor

com que uma casa se deve construir.

Rosa Lima, “Alquimia do Olhar”

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Concurso "Liga-te aos Outros"

A Fundação AMI lança o concurso “Liga-te aos Outros”, projecto que se destina a incentivar os jovens (a frequentar o 7ºano de escolaridade ou mais) a abarcar actividades de voluntariado na sua comunidade, em parceria com a escola.



A AMI pretende assim celebrar o Ano Europeu do Voluntariado, proclamado pela Comissão Europeia, e o Ano Internacional da Juventude, proclamado pelas Nações Unidas, estimulando os jovens para um maior envolvimento na sua comunidade e desenvolvendo a sua consciência social na detecção de casos sociais ou ambientais passíveis de serem resolvidos.


PARTICIPA!

para mais informações carrega aqui:
http://www.ami.org.pt/default.asp?id=p1p211p173p153&l=1&l=1

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Com as mãos

Com mãos se faz a paz se faz a guerra

Com mãos tudo se faz e se desfaz
Com mãos se faz o poema – e são de terra.
Com mãos se faz a guerra – e são a paz.

Com mãos se rasga o mar. Com mãos se lavra.
Não são de pedra estas casas mas
de mãos E estão no fruto e na palavra
as mãos que são o canto e são as armas.

E cravam-se no Tempo como farpas
as mãos que vês nas coisas transformadas.
Folhas que vão no vento: verdes harpas.

De mãos é cada flor cada cidade.
Ninguém pode vencer estas espadas:
nas tuas mãos começa a liberdade.

Manuel Alegre, in “O Canto e as Armas”

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Leitores do mês de Janeiro

Ao George 11º B e à Joana 6º B, os nossos parabéns. Continuem...

Ou isto ou aquilo

  
Ou se tem chuva e não se tem sol,

ou se tem sol e não se tem chuva!
Ou se calça a luva e não se põe o anel,
ou se põe o anel e não se calça a luva!

Quem sobe nos ares não fica no chão,
quem fica no chão não sobe nos ares.
É uma grande pena que não se possa
estar ao mesmo tempo nos dois lugares!

Ou guardo o dinheiro e não compro o doce,
ou compro o doce e gasto o dinheiro.
Ou isto ou aquilo: ou isto ou aquilo...
e vivo escolhendo o dia inteiro!

Não sei se brinco, não sei se estudo,
se saio correndo ou fico tranquilo.
Mas não consegui entender ainda
qual é melhor: se é isto ou aquilo.

Cecília Meireles


quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Pensamento


Meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história.

Bill Gates

Os grandes espíritos


"Os grandes espíritos sempre tiveram que lutar contra a oposição feroz de mentes medíocres." (Einstein)

Entrelaçados -



   Sexta Feira às 12.30, na Biblioteca. Aparece

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Comunicação



Já ninguém consegue estar 5 minutos sem o telémovel, sem consultar o seu e-mail ou facebook. Paramos de falar uns com os outros. Estamos presentes, mas respondemos ao mesmo tempo a solicitações várias: toques, mensagens... É por isso que, apesar de toda a tecnologia que torna a comunicação mais fácil do que nunca, 2010 foi o ano em que paramos de falar uns com os outros. A revolução de conectividade está criando um monte de atenção dividida, para não falar de angústia social. Muitos analistas dizem que é tempo de voltar atrás e reavaliar. (adapatção de USA Today, 30 Dez. 2010)

Uma vaca de estimação




Calendarização Hora do Conto 2º Ciclo

Se você quer vencer




"Se você quer vencer, não fique olhando a escada. Comece a subir, degrau por degrau, até chegar ao topo."