segunda-feira, 1 de junho de 2015

Dia Mundial da criança

Mas engane-se quem pensa que este dia é simplesmente uma festa onde as crianças recebem presentes. Esta data representa o dia em que se lembram todas aquelas crianças, que pelo mundo fora, sofrem de maus tratos, doenças, fome e qualquer tipo de discriminações.
Este dia começou a comemorar-se em 1950, depois da Federação Democrática Internacional das Mulheres propor às Nações Unidas que se criasse um dia dedicado às crianças de todo o mundo. Este pedido veio no sentido de tentar resolver o problema criado com a 2ª Guerra Mundial, que fez com que a crise atingisse muitos países da Europa, do Médio Oriente e da China, deixando de existir boas condições para se viver. Não havia comida, muitas crianças perderam os pais e outras tantas foram obrigadas a trabalhar para ajudarem nas despesas. Esses trabalhos eram muito duros e durante muitas horas.
Assim, a partir do dia 1 de junho desse ano, foi reconhecido às crianças, independentemente da raça, sexo, cor, religião e origem nacional e social, o direito ao afeto, amor, compreensão, alimentação adequada, cuidados médicos, educação gratuita, proteção contra todas as formas de exploração e crescerem num clima de paz e fraternidade.
Porém, só nove anos depois, em 1959 é que estes direitos das crianças passaram para o papel e a 20 de novembro foi criada a "Declaração dos Direitos da Criança", com o intuito  de proporcionar a todas as crianças do mundo, uma vida digna e feliz. 
A Declaração dos Direitos da Criança é composta por uma lista de 10 princípios, onde as crianças têm: 
1     - Direito à igualdade, sem distinção de raça, religião ou nacionalidade;
2     - Direito a especial proteção para o seu desenvolvimento físico, mental e   social;
3     - Direito a um nome e a uma nacionalidade;
4     - Direito à alimentação, moradia e assistência médica adequadas para a criança e para mãe;
5     - Direito à educação e a cuidados especiais para a criança física ou mentalmente deficiente;
6     - Direito ao amor e à compreensão por parte dos pais e da sociedade;
7     - Direito à educação gratuita e ao lazer infantil;
8     - Direito a ser socorrido em primeiro lugar, em caso de catástrofes;
9     - Direito a ser protegido contra o abandono e a exploração no trabalho;
10  - Direito a crescer dentro de um espírito de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos.

Quando esta Declaração fez 30 anos, foi aprovada a "Convenção sobre os Direitos da Criança", um documento mais completo, com 54 artigos e que se tornou numa Lei Internacional em 1990. Pode ser consultada aqui

Sem comentários:

Enviar um comentário