sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Poema Alberto Caeiro



Passa uma borboleta por diante de mim
E pela primeira vez no Universo eu reparo
Que as borboletas não têm cor nem movimento,
Assim como as flores não têm perfume nem cor.
A cor é que tem cor nas asas da borboleta,
No movimento da borboleta o movimento é que se move,
O perfume é que tem perfume no perfume da flor.
A borboleta é apenas borboleta
E a flor é apenas flor.




Poema Fernando Pessoa



Eu amo tudo o que foi
Tudo o que já não é
A dor que já me não dói
A antiga e errônea fé
O ontem que a dor deixou,
O que deixou alegria
Só porque foi, e voou
E hoje é já outro dia.



Clube de Xadrez










Clube de Xadrez 
na tua biblioteca



terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Poema (Machado de Assis)


Teus olhos são meus livros.
Que livro há aí melhor,
Em que melhor se leia
A página do amor?

Flores me são teus lábios.
Onde há mais bela flor, 
Em que melhor se beba
O bálsamo do amor?




quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

(Visita dos meninos de JI de Samões)

Hoje recebemos na "Nossa Biblioteca" os meninos do JI de Samões. 
Que lindos "Bonecos de Neve"!!!!!!
Obrigada pela vossa visita
Voltem sempre!!!